22.1 C
Limeira
27/01/2022

Policlínica ganha mamógrafo digital

Must read

O prefeito Mario Botion, a vice, Erika Tank, o deputado federal Miguel Lombardi e a presidente do Fundo Social, Roberta Botion, entregaram nessa segunda-feira (10) um novo mamógrafo digital à Policlínica. O aparelho deverá realizar 300 exames por mês. Adquirido pela Prefeitura de Limeira por R$ 780 mil, com recursos de emenda do deputado limeirense, o equipamento possui tecnologia de ponta, oferecendo imagens de alta qualidade, com baixas doses de radiação. Além disso, é mais acessível às mulheres com deficiência.

Botion observou que o câncer de mama é responsável por altos índices de mortalidade entre as mulheres. Por outro lado, destacou que, se detectado precocemente, apresenta altos índices de cura. “O equipamento é moderno, de última geração, as mulheres serão beneficiadas com diagnóstico precoce e mais preciso”, afirmou.

Durante visita à Policlínica para conferir o novo equipamento, o chefe do Executivo agradeceu o apoio de Miguel Lombardi, e ainda, salientou o papel desempenhado pela vice-prefeita nesse processo. Quando atuava como vereadora, Erika Tank solicitou ao deputado federal que incluísse a emenda do mamógrafo no orçamento da União. “Agradeço ainda à vice-prefeita pela iniciativa de pleitear a Miguel Lombardi recursos para a aquisição do equipamento. Agora, concretizamos essa etapa importante, que é melhorar a qualidade no atendimento de saúde das nossas mulheres”, frisou Botion.

Miguel Lombardi, por sua vez, falou sobre a precisão no diagnóstico e o avanço tecnológico proporcionado pelo equipamento. O mamógrafo dispõe de um sistema inteligente, ao permitir que as doses de radiação variem de acordo com cada tipo de mama. “Fico muito feliz por dar essa contribuição à prevenção do câncer de mama”, afirmou. O deputado ainda elogiou o governo municipal na realização de todo o trâmite burocrático inerente à transferência de recursos. “Essa é uma administração séria, transparente, parabenizo o prefeito Mario Botion e toda a sua equipe”, completou.

Casos

O câncer de mama é uma doença causada pela multiplicação desordenada de células da mama. Esse processo gera células anormais que se multiplicam, formando um tumor. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), com base em dados do Atlas de Mortalidade por Câncer/SIM, a doença ocasionou 18.295 mortes em todo país em 2019, sendo 18.068 mulheres e 227 homens. Em Limeira, o Centro de Oncologia da Santa Casa (COL) atendeu 128 casos novos desse tipo de câncer em 2020 – os dados se referem às pacientes do SUS e a convênios do hospital.

Prevenção

A saúde da mulher, incluindo o acesso das mulheres à mamografia, foram questões abordadas por Erika Tank, que durante sua atuação na Câmara Municipal, elaborou dois projetos relacionados ao tema. Um deles assegurou às mulheres com deficiência, condições e equipamentos adequados para prevenção e tratamento dos cânceres do colo uterino e de mama. O outro, incluiu no Calendário Oficial de Datas e Eventos o “Outubro Rosa para Mulheres com Deficiência”. Ambos os projetos foram sancionados por Botion durante a gestão passada. “Esse trabalho pela saúde da mulher é uma bandeira que carrego, não apenas agora como vice-prefeita, mas também como vereadora”, disse.

A vice-prefeita contou que a necessidade de aquisição do novo mamógrafo surgiu em 2018, após conversa com uma cadeirante, que relatou a dificuldade para fazer a mamografia nos aparelhos convencionais. Erika Tank iniciou, então, uma “corrida” para que as mulheres com deficiência tivessem na rede pública um mamógrafo mais acessível. “Esse equipamento trará benefícios à saúde da mulher, e ainda, aos profissionais de saúde, que vão poder trabalhar com mais segurança em busca do diagnóstico mais preciso”, afirmou. “Estamos presenteando as mulheres de Limeira com mais esse avanço”, completou.

Conquista

Roberta Botion também destacou a importância de um equipamento dessa magnitude ao município. “É uma conquista maravilhosa. As mulheres de Limeira merecem esse cuidado do município”, disse, ao referir-se à exatidão das imagens oferecidas pelo novo mamógrafo.

Fluxo

Como forma de identificar o câncer antes do surgimento de sintomas, o Ministério da Saúde recomenda a realização da mamografia de rastreamento (quando não há sinais nem sintomas) em mulheres com idade entre 50 a 69 anos, uma vez a cada dois anos. Para realizar o exame, a coordenadora da Policlínica, Helenise Adriana Bortolin, ressalta que as pacientes devem procurar pela Unidade Básica de Saúde mais próxima e agendar uma consulta com o ginecologista. Ela ressalta que somente esse profissional poderá solicitar o exame.

Publicidade

More articles

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Publicidade

Mais recente...