25.8 C
Limeira
26/01/2022

Tratamento com ventilação mecânica domiciliar auxilia pós de pacientes acometidos pela covid-19

Must read

olução tem como efeito também, o esvaziamento de leitos em hospitais

São Paulo, maio de 2021 – A segunda onda da pandemia gerou uma sobrecarga de internações em todo o país. Dados dão conta de que houve quase 80% de ocupação de leitos em 17 capitais do Brasil em análise referente ao período de 31 de janeiro a 20 de fevereiro de 2021¹ (¹Fiocruz).

Além da alta ocupação, as internações por COVID-19 costumam ser prolongadas, dificultando a rotatividade nos leitos hospitalares. Nesse contexto, após a fase aguda e com a estabilização clínica do paciente, surge como alternativa a possibilidade de continuar o tratamento em casa, com suporte especializado. Parte dos pacientes em fase pós-covid ainda utilizam suporte de ventilação mecânica*, e com a indicação correta, liberação médica e equipamentos adequados, poderiam ser manejados em domicílio.

(*https://www.ejinme.com/action/showPdf?pii=S0953-6205%2820%2930243-0

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7399582/pdf/405_2020_Article_6220.pdf)

4- Vitacca, M. et al. Is There Any Additional Effect of Tele-Assistance on Long-Term Care Programmes in Hypercapnic COPD Patients? A Retros – pective Study. COPD: Journal of Chronic Obstructive Pulmonary Disease, 2016; 13:5, 576-82).

Entretanto, algumas barreiras e mitos ainda existem com relação ao atendimento domiciliar. Entre outros pontos, podemos destacar: a insegurança por estar distante do centro de saúde ou hospital; o paradigma de que o paciente só está sendo bem acompanhado nos centros de saúde e o medo de falhas técnicas nos equipamentos/ ventiladores. Para contrapor esses pontos apresentados, os ventiladores domiciliares mais modernos possuem a capacidade de transmissão remota de dados para monitorização remota pelos profissionais de saúde. Isso permite que o paciente seja acompanhado por uma central a distância onde é possível acompanhar os principais parâmetros ventilatórios, os alarmes, a troca de parâmetros e o tempo de uso diário.

Desta forma, o acompanhamento progressivo permite acompanhar o tratamento e até o processo de retirada da ventilação de maneira acurada e segura. “A opção da ventilação domiciliar, frente a uma internação prolongada, para um tratamento direcionado em casa durante o pós-covid é o que observamos ser uma das melhores soluções tanto para hospitais, que ainda apresentam uma alta taxa de internação, quanto para o paciente que pode contar com uma alternativa de acompanhamento individualizado e efetivo, feito à distância”, explica Claudia Albertini, Head de marketing da ResMed (Latam).

Sobre a ResMed

A ResMed é a marca pioneira em soluções inovadoras que proporcionam qualidade de vida. A empresa apresenta tecnologias de saúde digital e dispositivos médicos conectados à nuvem que transformam a assistência das pessoas com apneia do sono, DPOC e outras doenças crônicas. Possui abrangentes plataformas de software fora do hospital, oferecendo suporte a profissionais e cuidadores que ajudam pacientes em suas casas ou instituição de saúde de preferência. Ao possibilitar uma melhor assistência, melhoram a qualidade de vida, reduzindo o impacto da doença crônica e dos custos para clientes e serviços de saúde.

Saiba mais em: https://www.resmed.com.br/

Publicidade

More articles

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Publicidade

Mais recente...